Lançamento Oficial do Projeto Mosquito Zero

bg-default

O lançamento ocorrerá as 18:30h, no Auditório do Centro de Cultura da Prefeitura de Salvador, e contará com a presença do Prefeito ACM Neto, o Secretário da pasta da Saúde, outras secretarias, além de representantes da sociedade civil, pesquisadores e acadêmicos.

O projeto visa oferecer a população de Salvador ferramentas tecnológicas de rápido e fácil acesso, que forneçam informações e interatividade, despertando o interesse para adoção de medidas preventivas e de controle do mosquito Aedes aegypti, essenciais para a implementação de novas políticas públicas de saúde e institucionalização da participação social.

Premiações

Foi o único projeto aprovado no Brasil para financiamento público com recursos do Ministério da Saúde, decorrente do Chamamento Público N.º 01/2014 MS/SVS, para seleção de Instituições Privadas sem Fins Lucrativos para Ações de Prevenção e Promoção em Vigilância.
Em 2014 foi vencedor em 1º lugar do Concurso Ideias Inovadoras da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia – FAPESB, contribuindo para o avanço da inovação, ciência e tecnologia no estado da Bahia.

Estratégias

Através do portal e aplicativo o “Mosquito Zero”, a população terá condições de informar os locais de foco e presença do mosquito. Registrar os casos suspeitos de dengue, chikungunya e zika vírus, identificar às condições de saneamento básico da sua residência, além de consultar às unidades de saúde georreferenciadas.

Inicialmente a tecnologia estará disponível na plataforma android e acessível em três línguas (português, inglês e espanhol). As informações registradas pela população, serão avaliadas por profissionais qualificados e encaminhadas para ouvidoria geral do município, a qual se encarregará de acionar os órgãos competentes para o atendimento das demandas.

O cidadão poderá acompanhar o andamento da sua solicitação através do número de protocolo, acessando o Portal Mosquito Zero ou através de notificações que serão atualizadas automaticamente no seu aplicativo.

Perspectivas


Contribuir para redução da infestação pelo Aedes aegypti;
Contribuir para redução da incidência de dengue, chikungunya, zika vírus e agravos associados;
Contribuir para redução da letalidade por arboviroses.